Category: Motivação, Autossuperação e Gratidão (page 1 of 2)

Como construir a realidade que você quer

Entenda o que deixamos de fazer para alcançar objetivos.

A ideia de escrever sobre esse tema surgiu depois de um café com uma amiga, mãe como eu, enquanto falávamos sobre os desafios de ser mãe, as mudanças que acontecem em nossa vida, e como é difícil às vezes alcançar objetivos, conquistar algo que queremos.

A conversa nos levou num determinado momento à pergunta: o quanto eu realmente quero…mudar de emprego, fazer o meu negócio dar certo, vender o meu apartamento, me recolocar no mercado de trabalho, emagrecer, … não importa qual seja o seu objetivo que queira alcançar.

E por que essa resposta é tão importante? Porque é preciso separar a resposta racional da emocional. Racionalmente eu posso estar totalmente convencida das razões e do quanto a mudança é melhor para mim. Mas, e emocionalmente? E aí está o “pulo do gato”. O grande segredo.

O que faz com que algumas pessoas construam, atraiam para si mesmas a realidade tão desejada? Elas descobrem o que emocionalmente a mudança significa e o que as prendem à situação atual. Ao trabalhar essas questões, destravam os bloqueios que as impedem de alcançar os objetivos. Pois passam verdadeiramente a agir em prol do objetivo.

Enquanto não entendemos esses aspectos emocionais e o que nos prende à situação indesejada (desemprego, estar fora de forma, estar sem dinheiro, etc…), nos enganamos achando que queremos a mudança, mas na verdade não queremos, porque de fato queremos os benefícios que temos ao permanecer da situação. Entendem?

Para ficar bem claro, de um lado enxergamos os ganhos que teremos ao promover e conquistar a mudança que queremos. Do outro lado, nos deparamos com o que nos faz bem se permanecermos como estamos ou o que perderemos ao mudarmos.

Emocionalmente os ganhos atuais e as perdas futuras são mais fortes do que os ganhos futuros e isso faz com que esses “argumentos” emocionais se sobreponham em força e poder aos “argumentos” racionais dos ganhos futuros que imaginamos alcançar.

Isso porque de acordo com a física quântica tudo pode ser entendido como ondas de energia eletromagnéticas que vibram em frequências diferentes. Toda a matéria é formada dessas ondas vibracionais. E assim são os pensamentos e as emoções. A ciência já sabe hoje que os pensamentos emitem ondas com uma frequência que vai de 10 a 30 hertz…porém, quando temos presente emoções, as ondas emanadas vibram numa frequência muito, muito superior, às vezes até 6.000 hertz! Uma vibração tão alta, que além de ativar processos neurobiológicos e químicos em nosso corpo, produz uma conexão com o todo, atraindo para nós a realidade que queremos! Demais, não é?

Sendo assim, fica claro que entender racionalmente as razões e o que ganhamos ao conquistar nossos objetivos não é suficiente, porque são apenas pensamentos. É importante aliar a esses pensamentos, emoções positivas muito fortes e neutralizar as que estão ligadas aos ganhos atuais que não queremos nos desfazer, mas que é preciso. E a partir daí começamos a entender o processo de construir a nossa realidade, alcançar objetivos que tanto queremos.

Baixe o GUIA DEFINITIVO DE MEDITAÇÃO

e encontre o método perfeito para você, SEM

que você precise sair de casa ou ter muito

tempo para praticar (apenas 7 minutos por dia!)

meditação, como meditar, mais concentração, mais foco, mais produtividade, como aprender a meditar, onde meditar

Faça a sua escolha e inclua a meditação de vez em sua vida!

 

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

Por que algumas situações se repetem em sua vida e como evitar isso

padrões, paradigmas, qualidade de vida, alta performance, bem estar, eu amanha, fabiana aparicio, situações que se repetem, situações repetitivas, situações se repetem

Entenda a atuação dos padrões nas situações que se repetem

Você já pensou o quanto a gente se prende em padrões? Padrões de todos os tipos: de comportamentos, de fala, de atitudes, de relacionamentos, de respostas, de pensamentos até…

E o pior é que fazemos isso sem perceber e depois não entendemos por que as coisas se repetem. Por que sempre temos os mesmos resultados. Por que sempre acabamos numa mesma situação. Por que determinadas situações se repetem.

Einstein dizia: “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.”.

Só que para começarmos a mudar, a fazer diferente, temos primeiro que perceber, que tomar consciência do que estamos repetindo. E isso, nem sempre é fácil. Mas, é necessário e é o primeiro passo. Para alcançar isso, você pode trabalhar de formas diferentes…há quem escolha uma terapia, há quem prefira reflexões e atenção plena ao comportamento, há quem goste de conversas com um amigo “cabeça” que tem uma percepção mais apurada e pode ajudar a esclarecer, enfim, há várias formas de tornar isso consciente.

Mas, há também uma forma muito prática, que ao invés de começar pela causa, pelo entendimento, começa pela consequência. E qual é a consequência? O comportamento. E como isso acontece? Fazendo diferente. Sem pensar no que fazemos normalmente, mas pensando em simplesmente fazer diferente.

Por exemplo, se você sempre vai até algum lugar usando o mesmo caminho, use outro. Se você sempre toma a mesma coisa de café da manhã, faça escolhas diferentes, se você sempre age de acordo com uma rotina específica todos os dias, mude algo de vez em quando. Ou ainda, escove os dentes com a mão esquerda, ouça uma música que não costuma ouvir, leia um livro que jamais leria, vá a lugares diferentes, etc..

Simplesmente faça, sem se questionar a razão de fazer ou qual é a ligação que há com qualquer de seus comportamentos, falas, pensamentos. Ou pensando nas situações que se repetem. Não importa. Apenas pense em fazer algo novo todos os dias.

Pode parecer difícil, talvez você tenha pensado: “Nossa! Como vou achar uma coisa nova todos os dias?”. Pois é… está vendo como estamos condicionados? É exatamente este trabalho que começará a ser processado…o estímulo para coisas novas, diferentes é tão intenso, de tal forma que o cérebro começará a criar novos caminhos, novas respostas e deixar de se prender a padrões.

Sempre que repetimos um padrão ele se reforça em nossa mente, e a tendência do cérebro, para economizar energia, será apontar para a resposta mais parecida que possa ser implementada sem muito esforço. Começamos, então, a entender porque situações se repetem. E o que será que acontece quando as respostas são sempre muito diferentes? Começamos a quebrar estes padrões. E aí sim, a ter resultados diferentes.

Isso sem falar que, ao fazer coisas novas, estamos vivendo experiências diferentes e podemos descobrir e viver emoções que nunca vivemos, podemos nos deparar com novas paixões, novas descobertas sobre o mundo e sobre nós mesmos, um novo mundo pode se abrir bem na nossa frente! E isso, não tem preço!

Baixe o GUIA DEFINITIVO DE MEDITAÇÃO

e encontre o método perfeito para você, SEM

que você precise sair de casa ou ter muito

tempo para praticar (apenas 7 minutos por dia!)

meditação, como meditar, mais concentração, mais foco, mais produtividade, como aprender a meditar, onde meditar

Faça a sua escolha e inclua a meditação de vez em sua vida!

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

Você está fazendo AGORA o que gostaria ou está em sua Zona de Conforto?

zona de conforto, eu amanhã, fabiana aparicio, alta performance, qualidade de vida, sair da zona de conforto, bem estar, felicidade, coaching

Zona de conforto X Objetivos e metas

Esses dias eu estava refletindo sobre uma questão: eu estou fazendo AGORA o que eu mais gostaria de fazer? E quando me refiro ao agora, é no sentido absoluto da palavra, naquele exato momento presente.

Qual você acha que foi a minha resposta?

Qual você acha que é a resposta da maioria das pessoas?

Mas o mais importante: qual é a sua resposta?

Essa é uma resposta delicada, no meu ponto de vista. Eu vejo a grande maioria de nós, como seres que facilmente se adaptam ao comodismo e relutam em sair do que todos chamam de zona de conforto (apesar de eu trabalhar com um conceito diferente de zona de conforto, vou usar aqui o termo com o significado que todos tem).

Ou seja, aquele estado que nos confere uma sensação positiva e gratificante para o momento e normalmente passageira. Explico: sempre que nos entregamos a um prazer imediato, como assistir a um filme, comer algo gostoso mas fora da dieta, descansar, se jogar no sofá e ficar zapeando, ficar apenas ouvindo música, entre muitas outras possibilidades, são momentos que nos proporcionam prazer imediato. Porém, que agregam pouco ou quase nada para atingirmos nossos objetivos, realizarmos os nossos sonhos. Não sou contra esses momentos e nem quero gerar apologia sobre o tema, acho sim que são necessários, mas de forma equilibrada e programada.

Mas, essa definição é importante quando pensamos no que eu gostaria de estar fazendo agora. Porque é bem possível que a primeira resposta seja sempre uma dessas coisas. Um desses momentos em que desfrutamos apenas do prazer, do deleite de fazer algo sem compromisso. De estarmos em nossa zona de conforto.

Isso significa que se respondemos algo assim a essa pergunta há algo errado? Não e sim.

Não porque esse é um procedimento natural do ser humano. A tal da zona de conforto parece ter um campo magnético que nos puxa para ela! E um dos objetivos do ser humano é a busca pela felicidade. E uma das formas de se sentir feliz, é com o que Martin Seligman chamou de Vida Agradável, ou seja, basicamente aquela feita do usufruto de bons momentos. E não há nada de errado nisso, em buscar alcançar um maior número de bons momentos. Então, não há nada de errado em pensar assim, desde que optar por esses momentos seja consciente e não uma fuga, e desde que seja planejado e não decorrência de procrastinação. Entendem a diferença?

E sim, há algo errado, por conta da questão acima, ou seja, o que eu estou deixando de fazer, que deveria ser o meu foco para alcançar os meus objetivos, que ao invés disso, eu procrastino e prefiro usufruir destes momentos apenas?

O ponto é que se eu faço isso e deixo os meus objetivos de lado ou se faço isso porque não tenho objetivos definidos, os dois motivos nos levam a crer que agir assim só irá trazer insatisfação e frustração a longo prazo. Pois haverá um momento em que vamos olhar para trás e perceber que perdemos tempo, que ao invés de estarmos mais perto de como gostaríamos de estar em 10 anos, por exemplo, estamos mais longe, porque se passaram 5 anos, faltam apenas 5 para chegar a minha meta e eu não fiz o que tinha que fazer, ou seja, temos que começar a contar os 10 anos de novo.

Resumindo, algumas reflexões que são necessárias sobre o tema:

O quanto o que eu realmente gostaria de fazer está distante do que eu estou fazendo?

Quando eu me percebo realizando algo que não gostaria de fazer?

O que eu realmente gostaria de fazer?

O que eu posso fazer para mudar isso?

Que outras alternativas eu tenho? E quais mais?

Quando eu vou começar a agir para mudar isso? Em que data?

Quando eu gostaria de fazer o que eu realmente quero?

 

Mas, há também a possibilidade (e a melhor!) de que estou fazendo exatamente aquilo que eu gostaria de fazer AGORA, e isso envolve viver atividades relacionadas ao profissional, ao lazer,  à qualidade de vida, etc.. Ou seja, escolhas conscientes e planejadas. Realmente, escolhas. E isso acontece sempre que estamos realizando atividades que são chamadas de atividades intencionais, assim denominadas por uma das maiores pesquisadoras de psicologia positiva, Sonja Lyubomirsky – atividades que escolhemos fazer e sobre as quais temos controle. E nesse caso, quanto maior o número de atividades intencionais, maior é o nosso bem estar!

Baixe o GUIA DEFINITIVO DE MEDITAÇÃO

e encontre o método perfeito para você, SEM

que você precise sair de casa ou ter muito

tempo para praticar (apenas 7 minutos por dia!)

meditação, como meditar, mais concentração, mais foco, mais produtividade, como aprender a meditar, onde meditar

Faça a sua escolha e inclua a meditação de vez em sua vida!

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

Urgência. E se fosse a sua última chance de conquistar seu objetivo?

 ampulheta, autoconhecimento, eu amanhã, fabiana aparicio, urgência, senso de urgência, alta performance, qualidade de vida, bem estar

Sacrifícios e senso de urgência!

Esse final de semana eu estava passeando na Avenida Paulista com a minha família. Você conhece lá? De domingo ela é fechada para o trânsito de carros e fica livre para pedestres, ciclistas, patinadores, skatistas, etc..

E também vira um grande palco para músicos, performistas, artistas plásticos, artesãos. Pessoas que expõem o seu trabalho ou sua arte num extenso palco ao ar livre.

Mas, é claro que muitos dos que estão lá procuram não apenas a oportunidade de expor o seu trabalho, mas de eventualmente serem abordados por alguém que queira patrociná-los e também para coletar o dinheiro que vai ajudar no seu sustento ou talvez, seja tudo o que terão.

O que me chamou a atenção foi que muitas das pessoas que estavam ali, deveriam se esforçar ao máximo, abrindo mão de uma série de coisas que preferiam estar fazendo para lutar pelo próprio sonho e fazer acontecer. E faziam isso, porque não viam alternativas.

Você, quando corre atrás do seu sonho, quando trabalha para realizar o seu objetivo, tem a mesma força de vontade, o mesmo empenho? Abre mão de coisas que gosta de fazer e que são valiosas para você? Quanto exatamente é o seu empenho? Do que exatamente você abre mão?

Tenho certeza de que a grande maioria se estivesse em uma situação de “vida ou morte”, de última chance para fazer algo dar certo, teria muito mais dedicação, disciplina, empenho e coragem.

A falta de opções ou a necessidade nos tira do comodismo. Faz com que tenhamos uma performance muito melhor do que numa situação confortável, em que sabemos que temos alternativas.

Isso não quer dizer que é o único fator que fará termos sucesso em nossos objetivos. De forma alguma, as variáveis são muitas. Porém, ele é um fator decisivo para alcançar o sucesso. Sem esta garra, essa motivação, essa entrega, fica mais difícil, ou talvez quase impossível alcançarmos nossas metas.

É o nosso 120%. É o sacrifício. É abrir mão de coisas que são valiosas. E é uma coisa a mais. É a presença de um sentimento, que ouvi pela primeira vez, com o sistematizador do SwáSthya Yôga: um senso de urgência!

Mesmo que não tenhamos urgência no que tivermos que fazer, sentir-se assim faz diferença e nos alça a patamares bem mais elevados de performance, de execução, de lucidez!

O senso de urgência presente nos coloca favoráveis a:

– Fazer o que tem que ser feito, sem rodeios, sem melindres, sem reclamações. Tem que fazer, levanta e faz. Pense menos e haja mais;

– Não deixar coisas para depois. Uma vez que entendemos o teor da tarefa, o impacto que terá no nosso objetivo, não dá para procrastinar, para deixar para depois;

– Enxergar a falta de tempo de outra forma. Se eu não quero abrir mão de algumas coisas para alcançar meu objetivo, então pode ser que eu não tenha mesmo tempo. Mas, à medida que o senso de urgência atua, percebemos que o tempo existe e é uma questão de prioridade e organização. O tempo é emocional.

E ainda, sabendo que não somos eternos nesta nossa vida terrena atual, quanto mais rápido nos colocarmos a realizar o que temos que fazer, melhor. Porque, a sensação de passagem do tempo é cada vez maior. Quanto mais velhos ficamos, mais rápido o tempo passa.

Então, porque deixar para depois? Tem que fazer logo!

E, ao refletir sobre esse tema, comecei a perceber que eu mesma, que me considero produtiva, organizada e administro bem minhas tarefas, usava a desculpa do tempo. Porque não queria abrir mão de algumas coisas que são valiosas para mim.

Eu abro mão de muitas coisas hoje, mas percebi que se quero alcançar os meus objetivos, realizar, sempre tem um esforço a mais.

E nesse ponto, quando ampliamos nossa consciência, começamos a perceber que podemos mais. Que há mais para ser feito. Que verdadeiramente não estamos em nosso 120% ou 130% ou 140%. Tem espaço para agirmos com mais urgência.

Tudo vai depender da sua vontade de realizar os seus sonhos.

Baixe o GUIA DEFINITIVO DE MEDITAÇÃO

e encontre o método perfeito para você, SEM

que você precise sair de casa ou ter muito

tempo para praticar (apenas 7 minutos por dia!)

meditação, como meditar, mais concentração, mais foco, mais produtividade, como aprender a meditar, onde meditar

Faça a sua escolha e inclua a meditação de vez em sua vida!

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

Emoções positivas. Você conhece o seu poder em sua vida?

emoções positivas, escolhas, eu amanhã, qualidade de vida, alta eprformance, lei da atração

Emoções positivas proporcionam melhores escolhas!

Mais do que vivenciar emoções positivas como gratidão, alegria, contentamento, amor pelo simples prazer de usufruir, as emoções positivas atuam em nossa mente como um poderoso catalisador da felicidade e funciona como um motor para a conquista de realizações. E tem mais ainda.

Quando vivemos um período bom em nossas vidas, damos pouca atenção à essas emoções. Na verdade, os momentos que mais precisamos das emoções positivas são aqueles em que nos sentimos mais baixo astral, pessimistas, negativistas, desanimados. Como sentir algo bom quando tudo parece estar ruim?

Imagino que quando você leu isso provavelmente se lembrou de alguma situação e concordou comigo, não?

Fingir não vai resolver, porque forçar ou fingir uma emoção positiva pode até fazer com que nos sintamos ainda pior. Até porque uma emoção negativa pode ser um sinal de que algo precisa ser resolvido naquele setor. Portanto, é preciso estar atento a isso. Quando surgir uma emoção negativa, primeiro de tudo, procure entender a razão e vá se perguntando por que, passando por camadas mais profundas da emoção, até chegar à causa.

Compreender o que está por trás das emoções requer autoconsciência. E quando temos consciência do que as provoca, podemos ser mais complacentes conosco mesmos e nos permitir viver emoções positivas verdadeiras. E, principalmente, entender que se trata de uma situação de momento e não definitiva em nossa vida. Se agirmos assim, com compaixão para conosco, não permitimos que a autoconsciência nos leve para um caminho muito duro, que é o da autocrítica elevada, que gera entre outros sentimentos ruins, culpa, pois isso pode, aí sim, nos paralisar ao invés de promover mudanças ou a troca por emoções positivas.

Bom. Ok. Você já entendeu o que deve ser feito quando estiver vivendo uma emoção negativa. Mas, como gerar ou substituí-las por uma emoção positiva?

É como disse acima. Não adianta fingir e não adianta ignorar. Mas, podemos provocar em momentos diversos do nosso dia algumas emoções e afirmações positivas, para contrabalançar as negativas.

Que tal experimentar essas práticas?

  • Pratique gratidão – ao final de cada dia, lembre-se de 3 coisas que aconteceram no seu dia pelas quais você é grato;
  • Lembre-se dos seus amigos do peito – escreva sobre eles: por que são seus amigos? O que você aprecia neles? O que eles já fizeram por você? E você por eles? Lembre-se de momentos de alegria que viveu com cada um;
  • Estabeleça uma meta por dia – escolha algo que precisa ser realizado no próximo dia sem falta, apenas uma coisa, algo que seja importante para você e que vai contribuir para o seu objetivo final e realize-o. Aproveite a sensação de concretização que vem do cumprimento de metas.
  • Faça o bem – lembre-se de algo que pode fazer para ajudar alguém, sem outras intenções, apenas para se doar um pouco, em prol do outro, e realize!
  • Brinque! – lembre-se de algo que você gosta e não faz há algum tempo, reserve um horário e faça!
  • Explore! – pense em alguma coisa que você gostaria de conhecer ou de aprender, e ponha em prática.
  • Saborei pequenos momentos da vida – alegre-se com uma boa música, sinta o contentamento ao saborear um alimento que gosta, etc..
  • Tenha orgulho de suas realizações – traga à sua mente uma realização, algo que tem orgulho de ter feito, deixe-se invadir por esta emoção.

 

Quando vivenciamos mais emoções positivas do que negativas estamos sendo estimulados a usar mais nosso potencial, temos motivação para realizarmos mais, promovemos a criação de competências através do aprendizado experimental e o conhecimento adquirido torna-se um recurso durável.

Vivenciar emoções positivas como amor e contentamento, contribui para o desenvolvimento de um senso mais refinado e apurado de nós mesmos e de nossas prioridades, além de acionar uma região específica do nosso cérebro, o córtex pré- frontal responsável por diferenciar pensamentos conflitantes, consequências futuras de atividades correntes, trabalho em relação a uma meta definida, previsão de fatos, expectativas baseadas em ações, e controle social, tornando possível a construção de um leque mais amplo de opções de recursos, possibilidades para novas soluções e alternativas para resolver uma situação de forma diferente, ao contrário das emoções negativas que acionam o sistema límbico e reduzem desta forma a visualização de nossas possibilidades de escolhas.

Use isso a seu favor para auxiliar na mudança que quer promover!

Baixe o GUIA DEFINITIVO DE MEDITAÇÃO

e encontre o método perfeito para você, SEM

que você precise sair de casa ou ter muito

tempo para praticar (apenas 7 minutos por dia!)

meditação, como meditar, mais concentração, mais foco, mais produtividade, como aprender a meditar, onde meditar

Faça a sua escolha e inclua a meditação de vez em sua vida!

 

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

11 dicas para você ter mais disposição e mais motivação na sua vida.

ter mais disposição, motivaçãoVeja como lidar com o cansaço e ter mais disposição!

Tenho encontrado e convivido com muitas pessoas que se sentem cansadas ou estão passando por um momento de stress, de tensão, sem ânimo para realizar, construir. Por isso resolvi contar aqui algumas coisas que eu faço que me me fazem ter mais disposição e motivação. Muitas delas eu incentivo as pessoas a incorporarem em sua vida, quando elas percebem que é o que falta, outras são só escolhas minhas que decidi compartilhar aqui.

Sempre que passamos por um momento em que nos sentimos assim, cansados, desanimados, com nosso equilíbrio emocional afetado, tendemos a colocar uma importância excessiva em resolver a situação em questão ou apenas remoendo o problema e deixamos de lado aquelas atividades ou outros setores de nossa vida que nos dão prazer, que nos alimentam a alma. Coincidentemente essa semana resolvi postar no instagram fotos de coisas que me alimentam a alma, se quiser vai lá ver: clique aqui!

O ponto é esse, além de incluir em sua rotina algumas ações que por uma razão ou outra (biológica, emocional, etc.) tem o poder de nos alçar para um patamar de energia superior, para ter mais disposição, precisamos descobrir e manter aquelas atividades que quando realizamos sentimos a motivação presente e nitidamente percebemos que ocorre uma recarga de energia. Vamos lá:

  1. Alimente-se adequadamente – você definitivamente é o que come. Preste atenção em como você se alimenta, se está ingerindo os nutrientes necessários para as atividades que desempenha e nos momentos certos. Perceba quais os alimentos que o seu corpo aceita melhor. E esteja muito atento a qualidade de cada um. O impacto da alimentação pode ser enorme para você ter mais disposição nas suas atividades diárias.
  1. Respire com qualidade – pare e respire fundo. Existem padrões respiratórios que podem elevar a sua performance tremendamente, não apenas no aspecto de capacidade respiratória, mas principalmente no que diz respeito a captação de energia para o seu corpo e controle de emoções. Todos sabem o bem que uma respiração profunda e lenta pode fazer ao corpo e ajudar a lidar melhor com as emoções. Mesmo que você não conheça estes padrões, incorpore o básico: respiração nasal, abdominal e lenta. Mas, se quiser conhecer mais técnicas, clique aqui e veja o áudio sobre respiração que você pode adquirir se quiser.
  1. Beba muita água – hidrate-se durante todo o dia. Um corpo hidratado funciona melhor, facilita a concentração e consequentemente impacta positivamente na sua performance diária e no seu nível de energia. Beber água não é besteira, é uma pequena atitude que se incorporada poderá lhe trazer grandes ganhos.
  1. Tome sol – encontrar a dose diária necessária da vitamina D na alimentação é praticamente impossível, a melhor e principal fonte de vitamina D é o sol, por isso reserve alguns minutos por dia para isso. Aproximadamente 80% da população do Brasil tem carência da vitamina D, talvez você nem saiba, mas você pode estar entre essas pessoas e isso pode impactar na sua saúde. Isso sem falar, é claro, na absorção de energia que os raios de sol nos proporciona. Não é uma delícia ficar sob o sol? O sol é capaz de alterar o humor das pessoas, então porque não aproveitar um pouco dessa injeção de ânimo gratuita?
  2. Exercite-se – fazer uma atividade física que goste, pois além de todo o aspecto fisiológico da liberação de substâncias superpositivas para o nosso organismo e que aumentam a sensação de prazer, é um momento em que você está realizando uma atividade para você, só sua, que você escolheu e porque quer. Para ter mais disposição e energia nada melhor do que se mexer, fazer uma atividade prazerosa e sentir a energia fluir pelo corpo. Quer satisfação maior do que tudo isso junto?
  1. Pratique a gratidão – eu tenho um caderno que chamo de caderninho da gratidão, nele escrevo todas as coisas pelas quais sou grata na minha vida. Quando começamos a fazer isso, começamos a perceber o quanto temos de bom em nossa vida e damos um valor verdadeiro mesmo às pequenas coisas. Fazendo isso, até é capaz de que algumas preocupações, insatisfações, problemas que julgamos enormes e que estejam nos desanimando, percam a importância. Escolha a sua forma de praticar gratidão e pratique!
  1. Ouça muita música, preferencialmente alta – música é em minha opinião um dos presentes que temos e que podemos usufruir por estarmos vivos. Eu acredito fortemente no poder que uma música tem. Descubra qual ou quais são as músicas que te colocam prá cima, que te enchem de energia. Nós normalmente associamos músicas às situações, procure uma situação que para você reflete disposição, energia, alegria, bom humor, etc. e associe uma ou mais músicas a elas e consequentemente a estes estados de espírito que quer viver. Te garanto que isso é capaz de te dar forças! Eu uso isso, e adoro o resultado!
  1. Durma bem – se você tem que acordar cedo (mesmo que não queria), você tem que dormir cedo. O sono é fun-da-men-tal para a saúde e disposição. Se não dormimos bem, não apenas a nossa disposição e energia ficam comprometidas, mas uma série de funções biológicas que são desempenhadas à noite deixa de acontecer ou acontece pela metade. Mantenha uma rotina regrada de sono e você verá a diferença no seu dia a dia! Se o que procura é ter mais disposição, comece pelo sono.
  1. Organize a sua vida – monte uma agenda de atividades, estabeleça atividades de rotina, coloque prazos, elenque prioridades, faça o uso de ferramentas para promover uma organização e diminuir a ocupação mental com algumas tarefas e pendências. A mente é como o processador de um computador, quanto menos tarefas ele tiver que processar simultaneamente, mais rápido e melhor ele funcionará. Quer dicas para fazer isso? Baixe o meu eBook aqui.
  1. Cultive o bom humor – estar de bom humor é uma decisão. Pare e reflita toda a vez que você se perceber de mal humor. Por que está assim? Mas, independente da razão, decida na hora que quer permanecer com cara feia ou se quer colocar um sorriso no rosto.
  1. Alimente a sua alma – sabe o que eu disse lá em cima sobre as minhas postagens? Então, procure aquilo que faz você sentir que viver vale a pena. Aquilo que alimenta a sua alma. Pode ser qualquer coisa que te dê prazer, que te faça sentir vivo. Inclua essa atividade pelo menos 1 vez por semana na sua vida. Na verdade, quanto mais melhor.

Estas dicas vão atuar sobre o seu corpo físico, emocional, energético, mental. Se colocadas em ação, após algum tempo de prática você sentirá uma grande diferença na sua disposição e motivação para agir. Tente e depois me conte. Só depende de você colocar em prática para ter mais disposição em sua vida!

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

Como ter motivação, quando não estamos em um “mar de rosas”?

Ter mais motivação e superar momentos ruins.

motivação, fabiana aparicio, coaching, autoconhecimento, bem estar, qualidade de vida, alta performance, lei da atração, vida com proposito, proposito, superar momentos ruins, mar de rosas

A verdade é que nunca estamos sempre em um “mar de rosas”, passamos por desafios na nossa vida, e muitas vezes as coisas não estão funcionando tão bem como gostaríamos. Quem acompanha os meus artigos, vê o tempo todo dicas, reflexões, insights, enfim, tudo que é reflexo das experiências que passei e passo e do que venho aprendendo e vivendo. E será que sempre tudo é tão bom para mim? Tudo funciona perfeitamente e eu não tenho momentos ruins ou dificuldades? Pois é. Não, não é assim.

É preciso termos consciência de que estes momentos acontecem. E que por maiores que sejam todas as promessas que escutamos e lemos por aí, como oportunidades fantásticas, solução para relacionamentos excepcionais, cursos excelentes que vão dar a sua liberdade financeira, sucesso profissional, etc, de que podemos encontrar um mundo perfeito, a história é diferente. Então, nada mais justo do que escrever sobre um destes momentos que eu vivi e que apenas agora 1 ano depois, a tempestade está passando.

Passei um tempo sem escrever aqui no blog, e isso teve uma razão, e o motivo é um momento de grande instabilidade emocional que estava passando. No meu caso, a instabilidade me coloca em um estado de paralisação. Quer dizer, todas aquelas atividades que já estou comprometida, ou seja, as aulas de Yôga e os atendimentos de Coaching acontecem normalmente, sem nenhum prejuízo. Porém, as demais atividades que profissionalmente estou desenvolvendo, produtos, conteúdo, etc. que estou construindo, não andam. Simplesmente param. Como se tudo não tivesse mais nenhuma importância. A única coisa importante é esclarecer e resolver os problemas que eu achava que tinha.

A instabilidade emocional consome energia. E muita. Provoca uma sensação de muito cansaço, como se você tivesse feito horas de atividade física. Ela pode ir tomando um corpo tão grande que começa a impactar na sua saúde, nos seus comportamentos e na sua produtividade. Comigo, alterou o meu sono, me colocou em um estado de alerta o tempo todo e afetou a minha motivação. E como cuidar disso? Não é simples. É demorado. Vejo alguns passos:

Leia mais …

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

2 dicas para mudar um dia que não começou bem.

ter mais disposição, autoconhecimento, altaperformance, mudar de vida, vida com proposito, proposito, motivação, disposição, mais energia

Como ter mais disposição e fazê-lo valer a pena!

Sabe aquele dia em que as coisas começam a não dar certo? Que você tem respostas que não queria ter, que acontecem coisas que te deixam triste, que você não consegue resolver um problema, ou que você tem um resultado que não era bem o que você queria? Como ter disposição para continuar?

Quando um dia começar assim e outras coisas não muito legais começarem a surgir, é bem possível que você pense que o dia vai ficar ainda pior. Vem aquela sensação de que todo o dia será ruim e dá vontade de desistir! E a motivação vai lá para baixo…

Nesses dias, a vontade é de recomeçar. Dá prá voltar o filme e reescrever o roteiro?

Reescrever não vai dar, mas dá prá mudar daquele ponto prá frente. Dá prá ter mais disposição! Assisti a um vídeo recentemente sobre isso, e peguei algumas dicas muito, muito boas. Olha só:

A primeira coisa a fazer é parar e pensar se você sabe o que você tem que fazer hoje. É bem comum nós nos colocarmos para trabalhar, para executar tarefas aleatoriamente, sem saber se o que estamos fazendo é uma atividade que efetivamente vai nos conduzir para o objetivo que temos (se você nem sabe qual é o seu objetivo, você tem que dar um passo atrás – e se quiser pode ler aqui este texto que falo sobre isso). Se não sabemos o que temos que fazer naquele dia, como podemos orientar as nossas ações e ter produtividade? A sensação que vai ressaltar é a de que nada foi feito, de que nada deu certo naquele dia, de que as coisas não andaram. Porque você está agindo sobre tarefas que não são importantes. Você está se ocupando e não produzindo. Por isso, foco. Qual é a minha missão hoje? O que eu tenho que realizar?

E essa é uma forma muito poderosa de fazer com que o seu dia valha a pena. De transformar um dia improdutivo, frustrante, num dia que contribuiu para você e para seu objetivo. Um dia que valeu a pena!

A segunda coisa a fazer quando as coisas começam a dar errado é parar imediatamente tudo o que você está fazendo. Se dê um tempo. Interrompa o fluxo. Corte a sequência improdutiva. E se alinhe com outra vibe. Com outro fluxo de energia. Faça uma parada e se coloque a fazer coisas que vão te colocar em outra vibração. Fazer isso ajudará a ter mais disposição. Por exemplo:

Saia para dar uma volta contemplando o seu redor, ouça uma música que você goste, pare para se alimentar com calma, mas tudo isso sem pensar em nada, sem refletir sobre o que está acontecendo. Apenas usufruindo o momento.

Pare tudo e vá realizar outra atividade por alguns minutos, 10, 20 minutos. Outras possibilidades colocadas nesse vídeo:

– Escolha um lugar tranquilo e agradável e dedique alguns minutos para a Meditação (se não sabe como fique ligado no meu site que vou dar dicas sobre isso) e depois se hidrate um pouco. Um corpo hidratado é um corpo mais saudável e trabalhando melhor, por isso é também uma mente mais ágil.

– Escolha algo que você pode fazer por alguém que você ama. Tire o foco de você mesmo. Ligue para esta pessoa, mande uma mensagem, pense em algo que ficou de fazer para ajudar e faça agora. O importante é parar de olhar para o seu próprio umbigo e mudar o ângulo de visão.

Depois que fizer esta pausa, volte e faça rapidamente este exercício que te ajudará a ter mais disposição para continuar, respondendo:

  • Quais as coisas pelas quais sou grata?

  • Quais as 3 tarefas que quero realizar hoje?

  • Qual será a minha recompensa por realizar estas 3 tarefas?

Ao finalizar, faça alguns ciclos de respiração bem profunda e repita para você: Tenha paciência, eu estou bem, eu acredito, eu estou aqui para servir, continue. Tenha paciência, eu estou bem, eu acredito, eu estou aqui para servir, continue. Tenha paciência, eu estou bem, eu acredito, eu estou aqui para servir, continue. Mais alguns ciclos de respiração profunda e volte com tudo, com a certeza de que seu dia será melhor!

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

Você precisa mesmo ultrapassar os seus limites?

limites, ultrapassar limites, qualidade de vida, alta performance, eu amanha, lei da atração, proposito

Limites. Como fazer para elevar sempre o seu padrão, sem sofrimento.

Crianças precisam de limites. Quando os pais mostram às crianças onde estão os limites, através de regras, de orientações, restrições e no não atendimento de todos os desejos, estão mostrando para a criança até onde ela pode ir, a partir de onde não pode, estão passando elementos importantes para gerar segurança e autoestima elevada, além da interferência que este comportamento terá na construção de vínculos, de melhores relacionamentos. Mas, o ponto é que limites está relacionado à segurança.

Quando permanecemos dentro de nossos limites, é porque sabemos que é uma área de conforto, em que nos sentimos seguros, salvos, estamos longe de mudanças, do desconhecido que pode nos causar medo, ansiedade, dor. Extrapolar os limites, pegando mais uma vez o apoio da psicologia com as crianças, está relacionado a ir além do permitido, portanto, sair desta zona de segurança, de conforto.

Mas, falasse tanto em ultrapassar os nossos limites. Ir além daquilo que nos parece ameaçador, superar medos e avançar; todos esses termos são usados com uma carga emocional muito positiva, motivacional, de que quando somos capazes de superar estas situações e ultrapassar os nossos limites somos vencedores, e superamos os obstáculos. A custa do que? Como será o processo emocional nestas situações?

 Eu prefiro o conceito que trouxe do Yôga para a minha vida: eu não ultrapasso os meus limites, eu amplio os meus limites. Este conceito está muito mais em acordo com o respeito ao seu corpo, o respeito a você como indivíduo, com segurança sim, sem provocar traumas de qualquer natureza, progredindo dentro do seu limite. Ampliar o seu limite é avançar gradativamente dentro da zona em que experimentamos conforto. Isso não significa não se desafiar, muito pelo contrário, está implícita uma boa dose de autossuperação. Pois quando busco ampliar o meu limite e percebo que cheguei neste estágio – o limite, é preciso permanecer e insistir naquele ponto, até que o corpo assimile e você perceba que aquilo que era o seu limite anterior, já não é mais. A autossuperação está em não desistir quando o limite se mostra diante de você. É não recuar e permanecer para que dê tempo para a expansão ocorrer.

O que normalmente fazemos é recuarmos quando nos deparamos com nossos limites, com medo de nos machucarmos, receio da dor ou de outros efeitos negativos. Mas, se estamos dentro do nosso limite, então não corremos esse risco. O problema é que muitas vezes a emoção nos conduz para uma realidade além do limite, trazendo sensações não muito boas, bem próximas da dor real que representaria estar naquela situação. Mas, não estamos lá. Portanto, a percepção não é verdadeira. Não dê olhos para esta emoção.

Como tudo na vida, o processo de expandir os limites é um treino. É preciso prática, empenho e dedicação. Toda mudança de comportamento requer consciência e persistência. Precisamos identificar as situações em que atuamos da forma que queremos mudar, perceber o que foi feito de errado e como poderia ser feito diferente e ter atenção para agir diferente na próxima vez. E essa tentativa pode acontecer muitas vezes antes de conseguirmos efetivamente modificar. Se relacionarmos o comportamento indesejado a uma dor, toda a vez que formos nos comportar daquela forma, nos lembraremos da dor e assim, a nossa mente atuará para fazermos o que for preciso para modificar o comportamento e evitar a dor.

Além disso, como disse expandir os limites também está relacionado à autossuperação, portanto, é preciso treiná-la também. Sempre que pensar que chegou ao seu limite, faça uma respiração bem lenta e profunda e dê mais um passo, apenas um, permaneça 1 segundo a mais, insista um pouquinho a mais. A cada vez que se deparar com a mesma situação, procure se comportar assim, um pouquinho por vez. E assim, começamos a construir essa ampliação. Parece simples. E é. Parece fácil? Nem tanto. É desafiador, mas não impossível.

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone

Motivação em baixa?

aumentar a motivação, eu amanhã, fabiana aparício, coaching, qualidade de vida, alta performance,

Artigo publicado em Julho/2015 e revisado em dezembro/2016

Como fazer para aumentar a motivação. 

Um dos grandes desafios é nos mantermos motivados. Aumentar a motivação sempre que percebemos que houve uma baixa. Normalmente atribuímos esta responsabilidade para outra pessoa ou para o meio. Às vezes nem fazemos isso tão conscientemente, mas quando esperamos que algo aconteça para nos motivar, na verdade estamos fazendo exatamente isso, ao invés de agir e buscar uma forma de nos motivarmos, esperamos pacientemente (ou nem tanto) que a motivação surja fora de nós.

O processo ideal tem que ser de dentro para fora. É claro que um retorno positivo de alguém, uma opinião, algum acontecimento específico pode acontecer e nos fornecer uma dose extra de motivação. Mas, o importante é não ficar aguardando estas situações e sim agir produtivamente para aumentar a motivação. Não se diz que a melhor defesa é o ataque? Pois então, não espere ficar desmotivado, sem ânimo e sem vontade. Podemos constantemente trabalhar formas de nos motivarmos.

Existem duas categorias de motivação: a intrínseca – aquela que vem de dentro; e a extrínseca – quando o que nos motiva está fora de nós. A intrínseca é sem dúvida nenhuma a que possui níveis mais altos de autodeterminação e autoconcordância e, portanto, muito forte.

Pensando na modalidade extrínseca, podemos subdividi-la em:

1. Regulação externa – o nível mais baixo, quando realizamos algo para obter recompensas, evitar punições ou satisfazer exigências externas;

2. Regulação introjetada – um nível um pouco maior de motivação, motivação para realizar algo quando fazemos para evitar culpa ou necessidade de validação externa;

3. Regulação identificada – aqui encontramos um maior nível de autodeterminação, é quando identificamos que realizar determinada tarefa será bom para nós, é importante;

4. Regulação integrada – o nível mais forte de motivação extrínseca, neste caso a tarefa está em concordância com os objetivos da pessoa, e é definitivamente uma escolha dela.

Faça uma reflexão e identifique:

qual a sua motivação nas suas tarefas

diárias e nos seus principais objetivos?

Quando começamos um projeto normalmente nossa motivação é bem alta, porém pode haver uma baixa de motivação e sermos invadidos por emoções não muito positivas, como desânimo, preocupação, ansiedade, dúvidas, medos. É importante nesta jornada trabalhar determinados comportamentos que vão diminuir essas emoções, muitas vezes até evitando que elas apareçam e assim contribuir para aumentar a motivação. Uma das ações a ser tomada é a preparação da sua estrutura biológica, que já comentei em um texto anterior. Esse processo já garantirá melhor desempenho perante estes obstáculos, como por exemplo, administração das emoções, o que já nos torna mais preparados para lidar com esses imprevistos.

Alguns exemplos de situações em que esses estados emocionais podem surgir: quando alguns resultados não são o que esperávamos ou demoram mais para acontecer e aí somos invadidos por dúvidas, quando nos deparamos com algo que não dominamos e não vemos alternativas, gerando preocupações, quando enfrentamos uma situação de fracasso, ou quando sentimos medo, receio.

A principal forma de aumentar a motivação nessas situações é atribuir significado ao que está fazendo. Nem sempre fazemos tarefas agradáveis, mas muitas são muito necessárias para que um objetivo final seja alcançado. Entenda, sendo assim, que aquela determinada tarefa te conduzirá ao que você quer o futuro, e para de enxergar a tarefa, pela tarefa.

Mas, também há outras formas de enfrentar melhor essas situações. Aqui, vou contar algumas formas que eu costumo utilizar e que podem te ajudar:

  • Comemorar cada conquista

Esse ponto é muito simples: a cada conquista realizada, comemore, conte para as pessoas que estão com você, que acompanham o seu processo. Tenha consciência de que você foi o responsável pela sua conquista. Por isso, vibre. Produza alegria. Gere satisfação. Aceite os elogios e parabéns das pessoas. Não minimize sua conquista, dizendo que teve sorte, que outro foi responsável, que você não saberia repetir o feito. Sinta-se merecedor. Comece o reconhecimento por você mesmo. Reconhecer as suas vitórias e pontos fortes é tão importante quanto reconhecer os pontos que precisam ser melhorados e trabalhar neles. E ao fazer isso, aproveite e faça uma análise rápida associando a sua conquista às atividades que precisou realizar para isso, identificando-as e tornando consciente o comportamento desempenhado. Isso fará com que o seu cérebro memorize a situação de sucesso e vá tornando o comportamento positivo um novo padrão. E, principalmente, fará aumentar a motivação.

  • Autoentrega

Se você se esforçou, deu seus 20% a mais dos 100% esperado, mas não teve o resultado esperado; ou às vezes precisou parar momentaneamente, mas você tem certeza de que está dando o seu melhor, então você não tem motivo para desanimar ou desistir. Acredite que você está fazendo o seu máximo e que os resultados virão. É preciso administrar a ansiedade e aguardar os resultados acontecerem. Existe uma força maior que conduz o universo, e se você está fazendo a sua parte, precisa entregar a responsabilidade para essa força agora. Os resultados acontecerão.

Numa situação como essa, é preciso continuar a agir, a fazer o que temos que fazer para alcançar o que queremos, corrigindo comportamentos, desvios, pensando em novas possibilidades e atuando, mas mantendo a consciência tranquila de que estamos fazendo tudo que nos é possível. Autoentrega.

Além disso, muitas vezes é preciso um tempo para tudo começar a acontecer. Um amadurecimento. É como nosso corpo, ele precisa de um tempo para assimilar comportamentos novos para então automatizá-los e começar a trabalhar dessa forma, e só então é que começamos a perceber o resultado. Querer ter resultados rápidos, imediatos é o que nos coloca em stress, causando ansiedade e frustração. Não nos ajudando de nenhuma forma.

  • Exercitar a gratidão

Eu aprendi a prestar atenção ao momento presente e valorizar pequenas coisas. Quando fazemos isso, aprendemos a agradecer.

A gratidão é um hábito. É um sentimento que construímos dentro de nós quando pensamos em tudo o que temos e no que aconteceu e acontece de bom conosco. Experimente fazer isso agora mesmo: faça uma lista das suas conquistas e coisas boas que aconteceram na sua vida, identifique os envolvidos e agradeça a todos eles.

  • Mentalizações positivas

O nosso cérebro é mais sabotador do que imaginamos. Se não estivermos atentos, ele vai produzir imagens e verbalizações mentais e até mesmo orais de situações negativas, reclamações, obstáculos, dúvidas, medos, atestando uma incapacidade.

Quanto mais tivermos uma mente reativa, mais pessimista, menos colaborativa conosco, os pensamentos mais frequentes serão esses, os negativos e coisas do tipo: “eu sabia que não devia ter arriscado…”, “Não vai dar certo!”, “Por que eu fui fazer isso?”.  E quando as mentalizações se tornam negativas, elas vem como em uma enxurrada. Arrastando tudo. Levando todos os bons pensamentos, as conquistas até o momento, todos os pontos positivos que a situação oferece.

Por isso é importante não apenas agir como um “cão de guarda” da nossa mente, mas também ser um agente ativo e constantemente produzir pensamentos positivos, visualizações das conquistas.

  • Diminuir nossas expectativas

Um dia eu percebi que a maioria das minhas frustrações acontecia devido às expectativas muito elevadas que eu colocava, fosse a situação qual fosse. E a partir de então, percebi que não deveria mais criar expectativas exageradas. As expectativas exageradas produzem em nós um estado de ansiedade que sabemos ser extremamente danoso. E quando não atingidas provocam frustração.

Procure baixar o seu nível de expectativa, as pessoas não vão agir como nós gostaríamos que elas agissem, elas vão agir e ser como são. As situações não vão acontecer sempre como desejamos, existem muitas variáveis envolvidas, e muitas das quais fora do nosso controle. Ajuste suas expectativas dentro de um padrão real e lúcido, compatível com a realidade.

Concentre-se em atuar sobre aquilo que depende de você. As expectativas que construir a partir deste ponto dependerão muito mais de você para serem alcançadas. O que depende do outro, depende de atitudes e opiniões que podem não ser iguais às suas e por isso levar à direções diferentes, fazendo com que as expectativas criadas baseadas no outro possam estar em patamares muito mais distantes da realidade.

Baixe o GUIA DEFINITIVO DE MEDITAÇÃO

e encontre o método perfeito para você, SEM

que você precise sair de casa ou ter muito

tempo para praticar (apenas 7 minutos por dia!)

meditação, como meditar, mais concentração, mais foco, mais produtividade, como aprender a meditar, onde meditar

Faça a sua escolha e inclua a meditação de vez em sua vida!

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone
Older posts

© 2018 eu, amanhã

Theme by Anders NorenUp ↑