Artigo revisto em 26 de setembro de 2016

crenças limitantes flor de lotus paradigmas

 

Descubra suas crenças limitantes, destrua paradigmas.

Esse texto foi feito para o início de 2016, mas, para que esperarmos o início do ano para fazermos as mudanças que queremos, não é mesmo? Então, faça agora. E comece com esse conselho:

O fim do ano chegou e eu gostaria de falar uma coisa para vocês uma única coisa: desaprenda. Desejar que em 2016 você, todos nós possamos desaprender.

Se tem algo que pode nos trazer novos aprendizados, nos mostrar novas possibilidades e nos abrir oportunidades é desaprender.

Desaprender é quebrar aqueles paradigmas que aprendemos no decorrer de nossa vida. Que absorvemos da sociedade. Desaprender é descobrir as nossas crenças limitantes ou não e destruir aquelas que nos prejudicam. É construir crenças novas. É reaprender aquilo que nos faz bem, que nos impulsiona. E introjetar estas novas crenças. É reconstruirmos a nós mesmos, incorporando em nossas vidas convicções que nos farão evoluir como seres humanos, crescer e contribuir para o mundo de alguma forma. Fazer a diferença e fazer diferente.

E é isso o que desejo para você neste novo ano.

Esse final de semana estive com alguns amigos e uma pessoa que conheci aquele dia começou a falar a sua interpretação, segundo a astrologia, sobre o que significava a forma como os meus filhos nasceram. Nesse momento eu percebi que tinha uma certa tendência em acreditar “de cara” em algumas coisas que ouço, leio, etc, percebi isso porque agi assim quando ela estava explicando e percebi que era assim que eu absorvia algumas das minhas crenças erradas, impróprias. E nesse momento lembrei-me do axioma número 1, preconizado pelo sistematizador do Yôga antigo, linha que sigo, o SwáSthya: Não acredite. E é isso que peço, exercite isso. Não acredite imediatamente em tudo o que ouvir. Nem mesmo no que estou escrevendo agora. Escute, leia, pondere, averigue outras opiniões, veja se o que você está ouvindo ou lendo tem sintonia com você, antes de absorver o que quer que seja. E desaprenda aquilo que você absorveu e que não serve mais para você, que algum dia serviu mas que hoje não está te ajudando em nada.

Aproveite o momento atual, afinal todo começo de ano é um época em que fazemos um balanço da nossa vida, do que realizamos, do que gostaríamos de ter feito e não fizemos, e também é uma época em que fazemos as promessas de ano novo, não é?

Ano novo é renovação, é recomeço, como o encerramento de um ciclo e uma nova chance para tentarmos realizar aquilo que ficou pela metade. Também o que deixou de ser feito pela falta de dinheiro, de tempo, de força de vontade, de momento ideal, etc.. E isso nos traz motivação para alcançar nossos objetivos e fazer diferente.

Então, faça diferente. Faça diferença. Desaprenda.

Feliz 2016!

Se quiser ler mais sobre crenças limitantes, clique aqui.