autorresponsabilidade, metas, objetivos, karma, mindset, alta performance, qualidade de vidaE não dá mais para escapar disso, da autorresponsabilidade.

No Yôga seguimos um conceito que se chama karma, para nós do Yôga pré-clássico karma nada mais é do que uma lei universal, de ação e reação. Ou seja, tudo o que nos acontece na vida é uma consequência de uma atitude nossa. Nós tomamos decisões, agimos de determinadas formas, nos expressamos, interagimos, etc., temos atitudes que todo o tempo trará consequências, boas ou ruins, que nos levarão para um caminho ou outro. Mesmo que talvez no momento não tenhamos consciência do lugar ou ponto para o qual estamos indo ou de todas as consequências possíveis. Aproximamos-nos ou nos afastamos de determinados karmas de acordo com as nossas escolhas. E entender que nossas atitudes nos levam para onde queremos ou não, é ter autorresponsabilidade.

E isso é tão verdadeiro que me faz cada vez mais querer ampliar minha consciência para poder enxergar um pouquinho mais longe para onde minhas ações, pensamentos e emoções vão me levar.

Mas, sabendo disso: que nós somos responsáveis pelo caminho que trilhamos e pelas pedras e flores que estão nesse caminho, vejo alguns pensamentos que valem a pena serem transformados em ações:

  1. Assuma a responsabilidade pelas consequências. Pratique a autorresponsabilidade. Busque sempre entender qual foi ou é a sua participação na situação, pois ela existe – em geral é grande e está lá; ao invés de culpar o outro, o momento, a situação, a empresa, o clima, o trânsito, etc..

  2. Identifique a sua responsabilidade e o que pode fazer de diferente a respeito na próxima vez. Qual seria outra alternativa ou resposta que te daria um resultado diferente, e melhor?

  3. Se sabemos dessa implicação das nossas atitudes e escolhas, que tal tornar isso mais consciente, planejando o seu futuro? Sabendo o que você quer, você pode estabelecer suas metas e traçar o que precisa fazer para atingi-las e tomar decisões que evitem determinados karmas que você não quer para você.

  4. Você pode ir mais além. Defina como deve ser o seu comportamento para refletir o que você quer. Quais as características que tem que ter uma pessoa que hoje é o que você quer ser? Como você deve se comportar? O que você tem que falar? E mais ainda, como eu devo pensar? Qual é o mindset de uma pessoa que já alcançou o que você quer alcançar tem?

Tenho observado que esse é um dos principais pontos cegos das pessoas – a autorresponsabilidade, ou seja, temos dificuldade em perceber a nossa responsabilidade. Não conseguimos enxergar que nossas atitudes provocam reações nos outros que não gostamos ou então, que deixamos de tomar algumas ações e nos queixamos de não sermos atendidos em nossas expectativas. Ou quando não comunicamos determinadas necessidades e culpamos o outro por não atendê-las. Como ele iria saber, se não tornamos isso claro? Está compreendendo como isso funciona?

Existe um estudo que modelou os comportamentos, pensamentos de diversas pessoas bem sucedidas, e percebeu-se que existem 5 crenças que são comuns nessas pessoas que experimentaram grande prosperidade nas suas vidas. E uma delas diz respeito à responsabilidade: essas pessoas estão no controle de suas vidas e sabem que são responsáveis pelos seus resultados. Não culpam ninguém. Sempre trazem para si a responsabilidade. Isto é autorresponsabilidade.

E mudarmos a nossa forma de pensar sobre esse ponto, adotando esta crença trará consequências marcantes e extremamente positivas em nossos comportamentos. Que tal começarmos por aí, para irmos em direção a uma vida mais próspera?