Como ter motivação, quando não estamos em um “mar de rosas”?

Ter mais motivação e superar momentos ruins.

motivação, fabiana aparicio, coaching, autoconhecimento, bem estar, qualidade de vida, alta performance, lei da atração, vida com proposito, proposito, superar momentos ruins, mar de rosas

A verdade é que nunca estamos sempre em um “mar de rosas”, passamos por desafios na nossa vida, e muitas vezes as coisas não estão funcionando tão bem como gostaríamos. Quem acompanha os meus artigos, vê o tempo todo dicas, reflexões, insights, enfim, tudo que é reflexo das experiências que passei e passo e do que venho aprendendo e vivendo. E será que sempre tudo é tão bom para mim? Tudo funciona perfeitamente e eu não tenho momentos ruins ou dificuldades? Pois é. Não, não é assim.

É preciso termos consciência de que estes momentos acontecem. E que por maiores que sejam todas as promessas que escutamos e lemos por aí, como oportunidades fantásticas, solução para relacionamentos excepcionais, cursos excelentes que vão dar a sua liberdade financeira, sucesso profissional, etc, de que podemos encontrar um mundo perfeito, a história é diferente. Então, nada mais justo do que escrever sobre um destes momentos que eu vivi e que apenas agora 1 ano depois, a tempestade está passando.

Passei um tempo sem escrever aqui no blog, e isso teve uma razão, e o motivo é um momento de grande instabilidade emocional que estava passando. No meu caso, a instabilidade me coloca em um estado de paralisação. Quer dizer, todas aquelas atividades que já estou comprometida, ou seja, as aulas de Yôga e os atendimentos de Coaching acontecem normalmente, sem nenhum prejuízo. Porém, as demais atividades que profissionalmente estou desenvolvendo, produtos, conteúdo, etc. que estou construindo, não andam. Simplesmente param. Como se tudo não tivesse mais nenhuma importância. A única coisa importante é esclarecer e resolver os problemas que eu achava que tinha.

A instabilidade emocional consome energia. E muita. Provoca uma sensação de muito cansaço, como se você tivesse feito horas de atividade física. Ela pode ir tomando um corpo tão grande que começa a impactar na sua saúde, nos seus comportamentos e na sua produtividade. Comigo, alterou o meu sono, me colocou em um estado de alerta o tempo todo e afetou a minha motivação. E como cuidar disso? Não é simples. É demorado. Vejo alguns passos:

– O primeiro passo, a meu ver, é entender a causa da instabilidade. Aos poucos elaborar como ela se manifesta, em quais situações, e que comportamentos e sentimentos derivam destas situações.

– O segundo passo é buscar ferramentas que possam te ajudar a superar o processo. Podem ser: atividades que te façam se sentir bem, trabalhar a respiração, meditação, o auxílio de um profissional especializado, dar ênfase à espiritualidade, entre muitas outras opções.

– O terceiro é ter paciência e colocar em prática o aprendizado, as ferramentas. Este talvez seja o passo mais desafiador. Porque é o que demora mais e que exige de disciplina e persistência, porque talvez os resultados não sejam imediatos. A motivação que adquirimos de uma hora para a outra pode sumir do mesmo jeito que veio, mas aquela que construímos em base sólida, permanece.

E é essa motivação que queremos sempre presente, que nos fará andar para a frente, ter vontade de prosseguir, conquistar, realizar. Aquela que tem sua fundação baseada num objetivo coerente com nossa essência.

O importante nesta situação e em todas as que são desafiadoras para nós, é entender qual é o aprendizado que temos que tirar do processo que estamos vivendo. Toda situação acontece para que possamos crescer e evoluir como pessoa. Muitas vezes nos colocamos propositadamente nestas situações, outras vezes, é a vida que nos coloca (por consequência de nossas ações, que às vezes não percebemos no momento). Quando isso acontece, nossa primeira resposta é reagir negativamente e não aceitar, mas se pararmos para avaliar o que temos que aprender, conseguimos, pelo menos, tirar um proveito da situação e enxergar algo de positivo.

Se eu pudesse escolher permanecer ou sair na situação que estou hoje, o que eu escolheria? É claro que sair! Afinal, quem quer passar por uma situação que provoque sofrimento, angústia e ansiedade? Mas, eu posso fazer isso imediatamente? Não. Apesar de depender apenas de mim, entendo que é um processo lento. Se assim é, como posso passar por ele da melhor forma possível? Uma das alternativas é olhando para o bem que ele pode me proporcionar e saber que quando tudo terminar, eu terei evoluído como pessoa. Porque vai passar. E confiar, confiar que tudo está caminhando e que irá se resolver. Vai passar.

Meu aprendizado atual da situação que passei e ainda estou passando? Acreditar, ter fé. E ser mais amena comigo mesma, ter mais caridade comigo. Menos cobrança, mais tolerância. Construir motivação pensando lá no futuro, no que desejo. E só quando entendo o que tenho que aprender é que percebo como eu estava precisando disso. Não é algo maravilhoso de descobrir, mesmo em uma situação desafiadora?

 

2 Comments

  1. Luciana costa

    17 agosto, 2016 at 22:32

    Esse artigo me ajudou bastante, pois passo por uma situação de total transformação na minha vida, que não consegui reagir e me encontro paralisada, toda a minha vida está comprometida, parou tudo, e eu tento sair e éc omo se ñ tivesse forças, grata por diviir suas experiências , e a partir de amanhã vou tentarlevantar.

    • FaAparicio

      22 agosto, 2016 at 14:08

      Olá Luciana! Fico feliz de ter te ajudado pelo menos um pouquinho. Pense assim: um passo de cada vez. Quando olhamos para o final da escadaria, nos parece impossível chegar ao topo, mas subir um degrau é bem mais fácil do que toda a escada. E depois de um tempo, quando você olhar para trás verá que já está em um ponto que não se via capaz de chegar antes. Procure nos meus artigos um texto sobre emoções positivas. Vai te ajudar! beijo grande!

Deixe uma resposta

*

© 2019 eu, amanhã

Theme by Anders NorenUp ↑