fd6b97_85b0b524c7ae44bdb2de1fcf0907cad0 (1)

Como saber?

Todas as nossas atitudes acontecem por duas razões:

1. Para irmos em direção ao prazer. Para vivermos emoções que de alguma forma nos trazem felicidade. Que provocam sensações positivas.

2. Para evitarmos a dor. Para nos afastarmos de emoções que nos machucam, que nos causam sofrimento

Parece óbvio, não?

Muitas vezes vivemos situações ou temos atitudes que não gostamos. No caso das situações, se não fizermos nada para entender por que elas não nos agradam e procurarmos superar o desconforto que essas situações produzem em nós mesmos, iremos sempre evitar viver qualquer uma dessas situações, vamos evitar que elas se repitam. Como por exemplo, quando temos medo de falar em público. Se não fizermos nada para mudar ou desvendar esse medo, sempre vamos nos esquivar de situações de exposição, porque nos fará viver uma dor que não queremos passar.

No caso de comportamentos que temos e não gostamos, normalmente é quando agimos por impulso, e temos pouca consciência do momento exato em que “nos perdemos”, ou seja, começamos a agir de uma forma que para nós é inadequada, por conta provavelmente de um impulso emocional descontrolado. Se a atitude não nos agrada é porque durante ou após, ela provoca sensações, sentimentos ruins e que se traduzem em dores que não queremos sentir. Mas, por que tantas vezes é tão difícil mudar?

Primeiro porque a dor não é suficientemente grande. Se conseguimos lidar com essa emoção negativa quando ela ocorre, vamos continuar agindo do mesmo jeito, porque por mais que seja desagradável, as consequências são administráveis a curto prazo.

Quando chegamos em nosso limiar de dor, ou seja, naquele ponto em que dizemos “não aguento mais” – de verdade, é o ponto em que conseguimos modificar um comportamento ou sair de uma situação.

Se insistimos em agir do mesmo jeito, vamos começar verdadeiramente a nos machucar, a violar os nossos valores mais profundos e de fato vivenciar aquela dor insuportável que não queremos. E por mais que isso possa parecer uma situação que ninguém se colocaria, isso é muito mais comum do que imaginamos. Isso porque é preciso coragem para mudar, se desconstruir e começar novas associações, padrões mais felizes.

Precisamos chegar nesse ponto? Se você quer uma mudança duradoura sim. Nesse ponto temos clareza do que é preciso fazer, qual o novo padrão comportamental ou situações que queremos estar e o principal, temos motivação, ou seja, não viver novamente aquela dor insuportável. Mas, você não precisa viver a dor no seu limiar para saber que é a hora de mudar e promover a mudança, muitas vezes, conseguimos identificar, mas não temos coragem ou motivação. O que você precisa então é criar essa motivação , ou seja, uma essa alavanca que dará a motivação, trazer essa dor para próximo de você, como se ela fosse real, para que sirva de alavanca para a mudança. Então é como se você a estivesse vivendo, e isso terá força suficiente para fazer você sair da situação ou mudar o comportamento indesejado.

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUponEmail this to someone