Objetivos coerentes com a essência, tem muito mais chance de serem alcançados.

Então você fez planos para sua vida, coisas que quer mudar. Podem ser grandes ou pequenas mudanças. Referem-se a uma parte de sua vida ou a toda ela. E você pensou, avaliou, tem certeza de que refletem sua essência, que vão te deixar mais perto de como você quer que a sua vida seja, de uma vida mais feliz.

Que ótimo! E você está consciente de que para chegar lá há um caminho a ser percorrido, não é? Longo ou curto. Não importa. Ele existe. E se você não percorrê-lo, não vai chegar ao final.

Sempre que traçamos um objetivo, temos que ter isso em mente. E por mais óbvio que pareça e sei que você deve estar pensando isso, não é assim que gostaríamos que fosse. Explico. Queremos sempre conquistar algo, mas não queremos fazer o que é preciso para chegar lá. Quer um exemplo? Queremos ter uma vida melhor, uma vida mais saudável, ter mais qualidade de vida, fazer exercícios, ter uma boa alimentação. Mas não queremos ter que acordar às 5h30 ou 6h00 para nos dedicarmos a uma rotina de exercícios. Se esta é a única possibilidade de realizar o que quer conquistar, então é ela que tem que ser feita. E ponto. Ou não queremos abdicar de alguns alimentos, reduzir ou adequar nossa alimentação. Ou você quer, ou não. E se a sua resposta for não, então não adianta ficar se colocando metas que não vai cumprir. E muito menos se martirizando e se cobrando por isso.

Se você está fazendo o seu máximo, ok. Está fazendo o seu melhor. Então, aceite isso e não force a situação. Não se imponha uma situação que não poderá cumprir. Seja honesta consigo mesma. A falta de honestidade é um obstáculo para o desenvolvimento pessoal. Mas, então, não fique sonhando com aquela vida saudável que acha que gostaria de ter. Será mesmo que você quer isso?

Vou te contar uma história para ilustrar: quando me tornei vegetariana, foi uma escolha que fiz baseada em um objetivo, uma razão, um propósito. Eu sabia que enfrentaria muitas das situações que enfrento hoje: comentários, “saias justas”, questionamentos, restrição de opções em alguns locais, etc. E eu me dispus a passar por isso. Porque era a única forma. Se quero me manter vegetariana para seguir os meus princípios, então me coloco voluntariamente nessas situações, passando por tudo com bom humor.

                ” Queremos os resultados finais, mas não queremos passar pelo que antecede: empenho e esforço para alcançar os resultados.”

Assim, parto do princípio que você está se conhecendo mais e mais e sabe o que realmente quer e até onde é o seu limite. Autoconhecimento. E todo esse lance de aceitar o que não é feito, só vale se, e apenas se, você percebeu que não atingir aquele objetivo não te trará a sensação de fracasso, porque na verdade não era um objetivo seu, não tinha a ver com a sua essência. É fruto de influências, crenças, condicionamentos, padrões da sociedade.

Agora, se você concluiu que quer alcançá-lo, mas está esbarrando em condições para realizá-lo, é porque não está consciente do caminho. Tenha em mente: querer algo é querer viver todo o caminho que te levará a esse algo. Força!

 Gostou? Compartilhe com seus amigos!