aumentar a motivação, eu amanhã, fabiana aparício, coaching, qualidade de vida, alta performance,

Artigo publicado em Julho/2015 e revisado em dezembro/2016

Como fazer para aumentar a motivação. 

Um dos grandes desafios é nos mantermos motivados. Aumentar a motivação sempre que percebemos que houve uma baixa. Normalmente atribuímos esta responsabilidade para outra pessoa ou para o meio. Às vezes nem fazemos isso tão conscientemente, mas quando esperamos que algo aconteça para nos motivar, na verdade estamos fazendo exatamente isso, ao invés de agir e buscar uma forma de nos motivarmos, esperamos pacientemente (ou nem tanto) que a motivação surja fora de nós.

O processo ideal tem que ser de dentro para fora. É claro que um retorno positivo de alguém, uma opinião, algum acontecimento específico pode acontecer e nos fornecer uma dose extra de motivação. Mas, o importante é não ficar aguardando estas situações e sim agir produtivamente para aumentar a motivação. Não se diz que a melhor defesa é o ataque? Pois então, não espere ficar desmotivado, sem ânimo e sem vontade. Podemos constantemente trabalhar formas de nos motivarmos.

Existem duas categorias de motivação: a intrínseca – aquela que vem de dentro; e a extrínseca – quando o que nos motiva está fora de nós. A intrínseca é sem dúvida nenhuma a que possui níveis mais altos de autodeterminação e autoconcordância e, portanto, muito forte.

Pensando na modalidade extrínseca, podemos subdividi-la em:

1. Regulação externa – o nível mais baixo, quando realizamos algo para obter recompensas, evitar punições ou satisfazer exigências externas;

2. Regulação introjetada – um nível um pouco maior de motivação, motivação para realizar algo quando fazemos para evitar culpa ou necessidade de validação externa;

3. Regulação identificada – aqui encontramos um maior nível de autodeterminação, é quando identificamos que realizar determinada tarefa será bom para nós, é importante;

4. Regulação integrada – o nível mais forte de motivação extrínseca, neste caso a tarefa está em concordância com os objetivos da pessoa, e é definitivamente uma escolha dela.

Faça uma reflexão e identifique:

qual a sua motivação nas suas tarefas

diárias e nos seus principais objetivos?

Quando começamos um projeto normalmente nossa motivação é bem alta, porém pode haver uma baixa de motivação e sermos invadidos por emoções não muito positivas, como desânimo, preocupação, ansiedade, dúvidas, medos. É importante nesta jornada trabalhar determinados comportamentos que vão diminuir essas emoções, muitas vezes até evitando que elas apareçam e assim contribuir para aumentar a motivação. Uma das ações a ser tomada é a preparação da sua estrutura biológica, que já comentei em um texto anterior. Esse processo já garantirá melhor desempenho perante estes obstáculos, como por exemplo, administração das emoções, o que já nos torna mais preparados para lidar com esses imprevistos.

Alguns exemplos de situações em que esses estados emocionais podem surgir: quando alguns resultados não são o que esperávamos ou demoram mais para acontecer e aí somos invadidos por dúvidas, quando nos deparamos com algo que não dominamos e não vemos alternativas, gerando preocupações, quando enfrentamos uma situação de fracasso, ou quando sentimos medo, receio.

A principal forma de aumentar a motivação nessas situações é atribuir significado ao que está fazendo. Nem sempre fazemos tarefas agradáveis, mas muitas são muito necessárias para que um objetivo final seja alcançado. Entenda, sendo assim, que aquela determinada tarefa te conduzirá ao que você quer o futuro, e para de enxergar a tarefa, pela tarefa.

Mas, também há outras formas de enfrentar melhor essas situações. Aqui, vou contar algumas formas que eu costumo utilizar e que podem te ajudar:

  • Comemorar cada conquista

Esse ponto é muito simples: a cada conquista realizada, comemore, conte para as pessoas que estão com você, que acompanham o seu processo. Tenha consciência de que você foi o responsável pela sua conquista. Por isso, vibre. Produza alegria. Gere satisfação. Aceite os elogios e parabéns das pessoas. Não minimize sua conquista, dizendo que teve sorte, que outro foi responsável, que você não saberia repetir o feito. Sinta-se merecedor. Comece o reconhecimento por você mesmo. Reconhecer as suas vitórias e pontos fortes é tão importante quanto reconhecer os pontos que precisam ser melhorados e trabalhar neles. E ao fazer isso, aproveite e faça uma análise rápida associando a sua conquista às atividades que precisou realizar para isso, identificando-as e tornando consciente o comportamento desempenhado. Isso fará com que o seu cérebro memorize a situação de sucesso e vá tornando o comportamento positivo um novo padrão. E, principalmente, fará aumentar a motivação.

  • Autoentrega

Se você se esforçou, deu seus 20% a mais dos 100% esperado, mas não teve o resultado esperado; ou às vezes precisou parar momentaneamente, mas você tem certeza de que está dando o seu melhor, então você não tem motivo para desanimar ou desistir. Acredite que você está fazendo o seu máximo e que os resultados virão. É preciso administrar a ansiedade e aguardar os resultados acontecerem. Existe uma força maior que conduz o universo, e se você está fazendo a sua parte, precisa entregar a responsabilidade para essa força agora. Os resultados acontecerão.

Numa situação como essa, é preciso continuar a agir, a fazer o que temos que fazer para alcançar o que queremos, corrigindo comportamentos, desvios, pensando em novas possibilidades e atuando, mas mantendo a consciência tranquila de que estamos fazendo tudo que nos é possível. Autoentrega.

Além disso, muitas vezes é preciso um tempo para tudo começar a acontecer. Um amadurecimento. É como nosso corpo, ele precisa de um tempo para assimilar comportamentos novos para então automatizá-los e começar a trabalhar dessa forma, e só então é que começamos a perceber o resultado. Querer ter resultados rápidos, imediatos é o que nos coloca em stress, causando ansiedade e frustração. Não nos ajudando de nenhuma forma.

  • Exercitar a gratidão

Eu aprendi a prestar atenção ao momento presente e valorizar pequenas coisas. Quando fazemos isso, aprendemos a agradecer.

A gratidão é um hábito. É um sentimento que construímos dentro de nós quando pensamos em tudo o que temos e no que aconteceu e acontece de bom conosco. Experimente fazer isso agora mesmo: faça uma lista das suas conquistas e coisas boas que aconteceram na sua vida, identifique os envolvidos e agradeça a todos eles.

  • Mentalizações positivas

O nosso cérebro é mais sabotador do que imaginamos. Se não estivermos atentos, ele vai produzir imagens e verbalizações mentais e até mesmo orais de situações negativas, reclamações, obstáculos, dúvidas, medos, atestando uma incapacidade.

Quanto mais tivermos uma mente reativa, mais pessimista, menos colaborativa conosco, os pensamentos mais frequentes serão esses, os negativos e coisas do tipo: “eu sabia que não devia ter arriscado…”, “Não vai dar certo!”, “Por que eu fui fazer isso?”.  E quando as mentalizações se tornam negativas, elas vem como em uma enxurrada. Arrastando tudo. Levando todos os bons pensamentos, as conquistas até o momento, todos os pontos positivos que a situação oferece.

Por isso é importante não apenas agir como um “cão de guarda” da nossa mente, mas também ser um agente ativo e constantemente produzir pensamentos positivos, visualizações das conquistas.

  • Diminuir nossas expectativas

Um dia eu percebi que a maioria das minhas frustrações acontecia devido às expectativas muito elevadas que eu colocava, fosse a situação qual fosse. E a partir de então, percebi que não deveria mais criar expectativas exageradas. As expectativas exageradas produzem em nós um estado de ansiedade que sabemos ser extremamente danoso. E quando não atingidas provocam frustração.

Procure baixar o seu nível de expectativa, as pessoas não vão agir como nós gostaríamos que elas agissem, elas vão agir e ser como são. As situações não vão acontecer sempre como desejamos, existem muitas variáveis envolvidas, e muitas das quais fora do nosso controle. Ajuste suas expectativas dentro de um padrão real e lúcido, compatível com a realidade.

Concentre-se em atuar sobre aquilo que depende de você. As expectativas que construir a partir deste ponto dependerão muito mais de você para serem alcançadas. O que depende do outro, depende de atitudes e opiniões que podem não ser iguais às suas e por isso levar à direções diferentes, fazendo com que as expectativas criadas baseadas no outro possam estar em patamares muito mais distantes da realidade.

Baixe o GUIA DEFINITIVO DE MEDITAÇÃO

e encontre o método perfeito para você, SEM

que você precise sair de casa ou ter muito

tempo para praticar (apenas 7 minutos por dia!)

meditação, como meditar, mais concentração, mais foco, mais produtividade, como aprender a meditar, onde meditar

Faça a sua escolha e inclua a meditação de vez em sua vida!